Acompanhar e analisar tendências de mercado sempre foi uma prática típica de grandes corporações, principalmente por poderem financiar esses estudos.

Pensando na aplicabilidade e acesso das tendências aos pequenos negócios, o Sebrae/PR lançou o Caderno de Tendências 2018/2019. O material é gratuito e está disponível para download pelo link https://bit.ly/2O9WmS4.

O caderno traz 37 tendências divididas em quatro macrotendências, que são movimentos importantes que devem influenciar o mercado nos próximos anos. São elas: sociedade e economia inteligentes, novos comportamentos de consumo, gestão para o futuro e experiências reais.

De acordo com Maurício Reck, consultor do Sebrae/PR, o caderno é resultado da análise de 14 reports (relatórios, em português), das principais entidades mundiais especializadas em tendências, feita por uma equipe de especialistas do Brasil, Itália, Inglaterra e Portugal.

“A equipe reuniu as informações sobre mudanças no comportamento de consumo no Brasil e no mundo e convergiu para a realidade dos pequenos negócios. Os consumidores estão cada vez mais conscientes e em busca de novas soluções. Quem não ficar atento ao que acontece no mercado, perde em competitividade. O caderno de tendências é um direcionamento para que ele se mantenha competitivo, possa identificar para onde seus clientes estão indo e quem pode ser seus novos clientes”, analisa o consultor.

Macro e micro
De acordo com Reck, macrotendências tratam de mentalidades globais, originadas por novas necessidades de comportamento em comum na sociedade. “Neste caso, essas mentalidades tomam proporção tão grandes que passam a afetar simultaneamente uma vasta gama de setores da indústria e tem um prazo mais longo, de 15 a 30 anos”, explica.

Já as tendências e microtendências, segundo Reck, são padrões de comportamento e consumo mais específicos, que surgem devido às mentalidades globais das macrotendências. “Por meio dessas manifestações em menor escala, ou em menos setores, pode-se compreender com mais precisão – ou na prática – quais são os tais novos anseios e desejos da sociedade”, avalia o consultor.

Imprimir