Nós temos os mesmos valores que você”, anuncia o e-commerce da Brandless, startup com escritórios em Minneapolis e São Francisco. Desde sua criação, em julho deste ano, a empresa vem causando burburinho no mercado americano pela ousadia da proposta. A ideia da marca “sem marca” (brandless, em inglês) vem acompanhada de uma série de inovações. Em primeiro lugar, a empresa abandonou a apresentação tradicional dos produtos em favor de embalagens em cores neutras, sem nenhuma marca estampada. O que está em destaque são as informações sobre o produto: se é orgânico, se não tem aditivos, se usa materiais reciclados etc.

Outra novidade é a enorme variedade de produtos, de diferentes categorias, todos pelo mesmo preço: US$ 3. Para conseguir chegar a esse valor, os fundadores Tina Sharkey e Ido Leffler eliminaram o que chamam de brand tax (numa tradução literal, imposto da marca) — o valor supostamente pago pelo cliente para ter o privilégio de consumir uma determinada marca. Fazendo pesquisas de mercado, os sócios chegaram à conclusão que o consumidor americano paga pelo menos 40% a mais por itens de suas grifes favoritas. “No caso dos produtos de beleza, a porcentagem pode chegar a 370%”, diz Tina, em entrevista à PEGN.

Ao criar a Brandless, os fundadores tinham como público-alvo os millennials — jovens que não se importam com marcas, mas sim com sustentabilidade. “Nós queremos reformular as relações de consumo, promovendo a transparência entre empresas e consumidores”, afirma a empreendedora. Em suas transações, a empresa se baseia nos princípios do Fair Trade, movimento que defende o contato direto entre produtor e comprador, evitando a burocracia e minimizando influências do mercado externo. Para garantir a qualidade, a Brandless trabalha apenas com produtos certificados, não tóxicos, que não são testados em animais e não contêm aditivos potencialmente prejudiciais à saúde. Os investidores estão bancando a aposta: até agora, a startup já recebeu US$ 50 milhões em três rodadas de investimentos.

Quem vê cara vê coração
Em vez de estampar o nome da marca, as embalagens da Brandless trazem informações importantes sobre os produtos. Conheça os itens principais, em quatro categorias

Beleza sustentável
A categoria é o carro-chefe da empresa. Das loções corporais e xampus à maquiagem, todos os cosméticos possuem certificado PETA (sem crueldade animal). Nenhum deles contém aditivos potencialmente perigosos à saúde, como parabenos, sulfatos, corantes ou fragrâncias sintéticas.

Casa orgânica
Também é possível comprar produtos para
a casa a US$ 3: o portfólio inclui embalagens de alimentos feitas de papel de cera, toalhas de mão e descansos de panela confeccionados com algodão orgânico, pratos e copos de material biodegradável e até artigos de porcelana a preços acessíveis.

Mesa natureba
Grãos, biscoitos, macarrão, molhos e enlatados fazem parte da extensa variedade de produtos alimentícios vendidos pela Brandless. Todos são orgânicos, não transgênicos, sem glúten, lactose, corantes ou conser- vantes. A maioria deles não leva açúcar na formulação.

Saúde turbinada
Para quem quer cuidar do corpo sem gastar, a Brandless incluiu em sua cesta diversos tipos de vitaminas e suplementos, como ômega 3, melatonina e probióticos. Há ainda pasta de dente sem flúor e sem álcool e artigos de higiene pessoal feminina feitos com material orgânico e hipoalergênico.

Imprimir