Apesar de o Governo Federal ter anunciado que médicos brasileiros formados no exterior escolheram as 1.397 vagas remanescentes do programa Mais Médicos, seis cidades da Baixada Santista ainda têm 10 postos vagos desses profissionais. São elas: Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Peruíbe, Praia Grande e Santos.

O município com a maior quantidade de profissionais do programa é Guarujá,onde trabalham 49 médicos. Quando o governo cubano decidiu abandonar o programa, em novembro do ano passado, foram abertas 29 vagas. Delas, 26 foram repostas em outros editais feitos pelo Ministério da Saúde.

Segundo a Prefeitura, os novos profissionais vêm de várias partes do País, como Brasília, Rondônia, Roraima, Minas Gerais, do Interior de São Paulo. Eles começaram a atuar nas unidades de Atenção Básica do Município em 4 de dezembro — como Usafas e UBSs municipais.

Em Santos, ainda há duas vagas disponíveis. Em novembro, a Cidade perdeu oito médicos cubanos. As oito vagas chegaram a ser preenchidas, mas, na última semana, houve um pedido voluntário de desligamento de dois profissionais. “A reposição será mediante a publicação de novo edital pelo Ministério da Saúde”, explica, por nota, a Secretaria de Saúde.

Desligamento

Com seis vagas disponíveis, Peruíbe ainda tem dois postos médicos disponíveis. Em novembro, a Cidade perdeu cinco profissionais cubanos. No último edital, houve a reposição de quatro. Deles, um solicitou o desligamento e teve o pedido aceito pelo Ministério da Saúde. “Para este, estamos solicitando reposição urgente,para quem sabe esta vaga seja contemplada ainda no edital atual”, cita a nota da Prefeitura.

Após Itanhaém perder cinco cubanos, quatro já foram repostos e uma vaga ainda está em aberto. Situação semelhante à de Cubatão. Das cinco vagas de cubanos, quatro foram preenchidas em dezembro. O médico convocado para a vaga não se apresentou após o edital. O efetivo médico do programa está operando com equipe integral em São Vicente (oito médicos repostos), Mongaguá (seis ) e Bertioga (uma).

Imprimir