Chega ao mercado mais uma foodtech focada em alimentos à base de plantas. É a Nude, startup fundada em 2020 pela empreendedora paulista Giovanna Meneghel. A empresa acaba de lançar sua linha de leites à base de aveia em 100 pontos de venda no Brasil, espalhados nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo e Paraná.

A empresa conta com cinco versões do leite: original, fórmula especial para ser tomada com café, baunilha, cacau e fortificado com cálcio. Em outubro, a foodtech levantou sua primeira rodada de investimento, no valor de R$ 2 milhões, feita por investidores-anjo. A notícia foi divulgada com exclusividade para PEGN.

Meneghel conta que a vontade de empreender surgiu ainda em 2015, quando fez um curso de inovação. À época, entretanto, estava com sua atenção totalmente focada no mercado de moda, no qual construiu sua carreira. O que poucos sabiam era que a paulista havia passado boa parte da infância no Paraná, na fazenda de seus pais, cuja produção é sumariamente focada na aveia.

Depois do curso, foi morar na Alemanha com o marido. Lá, deu uma pausa na carreira de moda para ajudar na internacionalização dos negócios da família. Nesse período, começou a estudar a possibilidade de empreender na área de alimentação – com foco em inovação. “A Alemanha é muito rica nesse tema. A cidade é considerada a capital vegana da Europa e isso me inspirou”, diz.

Nesse período, Meneghel começou a observar a aveia com um novo olhar: a ideia era usála como matéria-prima para a produção de leite vegetal. A empresária conta que, nos Estados Unidos, esse já é o segundo leite vegetal mais consumido do país, ultrapassando o leite de soja e ficando atrás somente do leite de amêndoas. “Vi que era uma categoria pouco aproveitada no Brasil”, diz.

Quando voltou ao país, no início do ano, estava determinada a tirar a ideia do papel. Vendeu o apartamento que tinha com o marido e usou o dinheiro como capital inicial da startup. Para trabalhar no desenvolvimento do produto, contratou um diretor de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento), com PhD em tecnologia de alimentos e especialização em aveia. “Chegamos em um resultado extremamente puro e com sabor. No mercado de comida, não adianta inovar sem sabor”, diz a empresária.

Outro investimento foi em sustentabilidade. A Nude contratou uma consultoria sueca para garantir que a startup produzisse um leite carbono neutro. A fundadora conta que a empresa é capaz de calcular o valor de carbono emitido por litro de leite. “É um passo importante, porque você mensura a cadeia e define um plano de mitigação para melhorar”, diz.

A empresa, que tem oito pessoas no time, aplicará o aporte em pesquisa, marketing e contratação de pessoas. O objetivo é lançar novos produtos ainda em 2021. Meneghel não revelou quais, mas disse que são possíveis substitutos dos produtos lácteos. A meta é fechar o ano que vem presente em 500 pontos de venda no país.


Imprimir