Uma equipe da Secretaria de Saúde Pública (Sesap) de Praia Grande está percorrendo bairros da Cidade para aplicar testes rápidos de covid-19 (novo coronavírus) e questionários em domicílio, seguindo as diretrizes especificadas pela Epicobs (Epidemiologia da covid-19 na Região Metropolitana da Baixada Santista) que é um estudo elaborado pelo Governo do Estado de São Paulo para avaliar a velocidade da contaminação na região. Todos os municípios da Baixada Santista participam do estudo.

Os testes podem indicar a porcentagem da população que já teve contato com o coronavírus através da detecção de anticorpos, o que ajuda a definir a curva de contágio e, dessa forma, contribui nas decisões do governo em relação aos rumos do isolamento social e a destinação de recursos para a saúde.

“Os dados obtidos vão ajudar a traçar um panorama da infecção por coronavírus nos moradores da Baixada Santista e colaborar de um modo geral para a tomada de decisão e direcionamento das ações de combate à pandemia”, explica a coordenadora da pesquisa em Praia Grande, Desirée Araújo, diretora da Atenção Básica no Município.

A amostragem de população a ser testada foi distribuída por sexo e faixa etária predeterminada, assim como os pontos de coleta, de acordo com o setor censitário específico. O estudo é realizado em 4 etapas, sendo que a primeira aconteceu de 20 de abril a 1º de maio, onde foram realizados 396 testes na Cidade.

A segunda etapa começou na quarta-feira (13) e segue até sexta (15). Neste período serão mais 396 testes. Os principais objetivos da pesquisa são: estimar a prevalência de anticorpos contra o SARS-CoV-2 (covid-19) na população da Baixada Santista, distribuída por sexo, faixa etária e município de moradia; determinar o aumento do número de pessoas infectadas ao longo do tempo; obter cálculos mais precisos de letalidade; e avaliar o nível de conhecimento populacional sobre as medidas de isolamento e riscos de transmissão.

Imprimir