Você já deve ter presenciado alguma cena incômoda de chefes tratando funcionários de maneira desrespeitosa, principalmente na frente de clientes. Práticas como essa, além de poderem chegar ao ponto de assédio moral, afetam negativamente a produtividade e o lucro de um empreendimento.

Um ambiente de trabalho centrado nas pessoas faz o negócio prosperar. Isso porque atmosferas agradáveis abrigam equipes mais comprometidas. E essa corrente contamina, além dos colaboradores, os clientes, que ficam mais satisfeitos com o tratamento e serviço prestados. Como consequência, produtividade e lucro crescem.

Caso você esteja em uma posição de liderança, é necessário agir de maneira que seus funcionários tenham vontade de vestir a sua camisa. As quatro dicas abaixo, da Entrepreneur, são boas direções para quem quer ser um líder – e não um chefe.

1. Promova a autonomia
O primeiro lugar para começar a criar um local de trabalho que prioriza as pessoas é capacitar sua equipe. O termo “capacitação” é amplo, mas existe um norte para essa prática: autonomia. A engrenagem deve funcionar na sua presença e eventual ausência – que não pode trazer o caos. 

Uma mudança a que vale a pena aderir é a flexibilização de horários. A velha guarda é muito apegada ao cumprimento de horários. Quando o assunto são as jornadas de trabalho, é comprovado que pessoas têm horários biológicos próprios. Existem aqueles que trabalham melhor de manhã e aqueles que só acordam realmente após as 14h. Forçar sua equipe a seguir uma jornada de trabalho tradicional compromete negativamente os níveis de energia do time.

Permita também o trabalho remoto de vez em quando. Entre as vantagens do popular home office, a economia de tempo gasto em trajetos talvez seja a mais significativa, além de permitir que o colaborador defina seu próprio horário.

Outra dica é: não microgerencie sua equipe. Deixe-os cumprir suas tarefas com máximo de liberdade – contanto que eles estejam entregando um trabalho de qualidade e cumprindo os prazos.

2. Priorize a saúde e o bem-estar do seu time
Parece óbvio que uma equipe saudável é mais produtiva – menos faltas, mais agilidade nas entregas e até ânimos melhores para lidar com outras pessoas, sejam colegas de trabalho ou clientes. Entretanto, quais são suas ações objetivas para promover o bem-estar dos funcionários? Aqui estão algumas sugestões simples para você começar:

– Crie um programa de bem-estar dos funcionários
– Promova cuidados preventivos, como vacinas contra gripe no local
– Ofereça almoços e lanches saudáveis
– Incentive a prática de exercício físico
– Invista em móveis ergonômicos
– Luz natural e plantas deixam o ambiente mais aconchegante e são coisas simples de implementar. Invista nisso
– Não negligencie a saúde mental de sua equipe. Promova ações de conscientização sobre o tema
– Conheça os membros de sua equipe individualmente para ajudá-los a resolver problemas que afetam seu bem-estar e, consequentemente, sua produtividade.

3. Tenha um senso qualitativo de análise de resultados
Sua análise como líder não deve ser orientada apenas com números concretos. Quando o negócio avança qualitativamente, é mais fácil enxergar seu propósito.

Um estudo publicado pela Harvard Business Review pesquisou a performance de mais de 850 funcionários em diversas funções e indústrias, e em todos os níveis de experiência – do júnior ao sênior. O ponto mais notável foi que muitas das estratégias tradicionais usadas para aumentar a qualidade do trabalho – como incentivos monetários, treinamento e compartilhamento de melhores práticas – têm pouco efeito sobre os funcionários.

Na verdade, a pesquisa descobriu que as empresas que adotavam uma abordagem baseada no desenvolvimento de uma cultura de qualidade atingiram os melhores resultados: funcionários que cometem menos erros.

Não interpretem mal aqui: os números importam, mas nem sempre motivam.

4. Adote um “analytics” de pessoas.
O termo se refere ao uso de dados para entender e otimizar o lado pessoal das empresas.

Um processo de contratação que usa a inteligência artificial, por exemplo, pré-qualifica os candidatos e rejeita aqueles que não atendem às qualificações do seu negócio.

Outro tipo de análise que pode ajudá-lo é identificar as lacunas de habilidades que sua equipe precisa desenvolver e como ela gasta seu tempo. Ferramentas de gerenciamento de tarefas e tempo auxiliam nesses aspectos – o alívio do estresse é um efeito disso, além da otimização de tempo.

Imprimir