Quando você monta uma vaga de emprego e analisa quais benefícios você deve dar aos funcionários, pode logo imaginar os clichês das startups: um dress code informal ou videogames para relaxar durante o expediente, por exemplo. Ou pode logo partir para os básicos vale-refeição e vale-transporte.

Bill Gates discorda das duas visões. Segundo o site americano Inc., o filantropo e fundador da gigante de tecnologia Microsoft afirma que os gestores ignoram um benefício que é óbvio aos melhores funcionários: a flexibilidade de trabalhar onde quiser. “A competição para contratar os melhores irá crescer nos próximos anos. As companhias que derem mais flexibilidade aos seus funcionários terão um diferencial.”

Os dados concordam com o fundador da Microsoft. Uma pesquisa da Harvard Business School mostrou que funcionários que podem trabalhar de onde quiser são 4,4% mais produtivos do que aqueles que tinham flexibilidade, mas ainda precisam estar próximos ao escritório. As empresas podem poupar custos com infraestrutura e chegar aos melhores talentos do mundo todo.

Enquanto isso, os funcionários podem se mudar para áreas mais econômicas e fazer seu salário valer mais a pena. Outro benefício está na disposição: não é mistério que os empregados perdem boa parte de seu dia no deslocamento para o trabalho, ainda mais em grandes cidades.

Oferecer a oportunidade de trabalhar a partir de qualquer espaço é devolver um pouco de vida aos seus funcionários. A devolutiva? Mais entusiasmo e mais sustentabilidade, com menos trânsito e menor emissão de gases poluentes e de poluição sonora.

Como colocar o trabalho flexível na minha empresa?
Para implementar a política de trabalho flexível, alguns conselhos: primeiro, invista em soluções de comunicação que coloquem todos na mesma página. Exemplos são as aplicações Google Hangouts e Slack.

Depois, olhe para os processos. Mande relatórios para toda a companhia com frequência e invista em ferramentas de organização, como Asana ou Trello, e em treinamento para usá-las.

Imprimir