As vendas de imóveis cresceram 64,1% em quatro cidades da Baixada Santista, região de São Paulo. O aumento foi registrado entre julho de 2019 e junho de 2020, em comparação com o mesmo período imediatamente anterior. Fizeram parte do estudo os municípios de Santos, Guarujá, São Vicente e Praia Grande.

A análise foi feita pelo Departamento de Economia e Estatística do Sindicato da Habitação, em parceria com a Brain Inteligência Estratégica. De acordo com os dados apresentados, 5.084 unidades residenciais novas foram vendidas, superando as 3.099 do levantamento anterior, considerando o mesmo período.

Em entrevista ao G1, Carlos Meschini, diretor-executivo do Sindicato da Habitação (Secovi) na Baixada Santista, explicou que esse aumento se deve ao fato de os juros imobiliários estarem reduzidos. “Em 2019, o mercado estava em uma constante crescente. Durante a pandemia, foi desacelerando. Porém, ainda continuou alta, já que as taxas de financiamento estão baixas”, diz.

Segundo Meschini, a expectativa é de que, em 2021, o Brasil alcance o maior número de financiamentos concluídos, considerando os últimos levantamentos no país. “A demanda já estava tentando se reerguer. As pessoas passaram a economizar mais neste ano. Como o retorno financeiro em aplicações está baixo, imóveis passam a ser uma boa opção”, ressalta.

Além das vendas, os lançamentos imobiliários também cresceram no intervalo de julho de 2019 a junho de 2020, e totalizaram 4.021 novos imóveis. O resultado representa um aumento de 7,3% em relação aos 3.748 imóveis apontados no levantamento anterior.

Ainda de acordo com a pesquisa, os imóveis de dois dormitórios lideraram entre julho de 2019 e junho de 2020 com a maior quantidade de lançamentos, vendas, oferta final e maior valor global de vendas. No período, a média de preços entre R$ 230 mil e R$ 500 mil destacou-se em quase todos os indicadores.

Imprimir