Para compartilhar ess

A sabedoria de Warren Buffett continua ensinando muita gente. Com quase 90 anos, o CEO da Berkshire Hathaway contribuiu para o senso comum mundial e compartilhou as regras de vida que mais funcionaram para ele.

Uma das regras de Buffett é bastante direta: livre-se dos maus comportamentos. A maioria de nós sabe quais são os obstáculos que impedem que alcancemos todo o potencial que temos – e ele não mede esforços para explicar o que traz à tona o pior de cada um. “Eu vejo pessoas com esses padrões de comportamento autodestrutivos. Eles realmente são presos nisso”, comenta.

A solução para esse problema é simples. O CEO da Berkshire Hathaway aconselhou ex-alunos da Universidade da Flórida a aprender e adotar os bons hábitos desde cedo, antes que seja tarde demais. Segundo ele, “você pode se livrar [de um mau comportamento] muito mais facilmente na sua idade do que na minha, porque a maioria dos nossos comportamentos é habitual. As cadeias de hábitos são leves demais para serem sentidas até serem pesadas demais para serem quebradas”.

Realmente é muito mais fácil livrar-se dos maus hábitos aos 20 anos do que aos 50 ou 60 anos. Mas, independentemente da sua idade, livrar-se dos seus padrões autodestrutivos é crucial para obter sucesso.

Quais são esses comportamentos?

Durante a infância, nossos pais nos mandavam parar de falar com a boca cheia, não arrotar em público e parar de importunar nossos irmãos, por exemplo. Reflita: algo mudou hoje? A resposta é: dificilmente.

Muitas vezes trazemos hábitos que temos desde crianças para o ambiente empresarial – e eles se tornaram comuns. O portal Inc. reuniu cinco comportamentos dos quais você deve se livrar agora mesmo:

1. Fofoca nos locais de trabalho

A fofoca é uma prática corrosiva e muitos profissionais não ficam cientes quando isso acontece, ainda que sejam os responsáveis por criar algum rumor. Em sua pior e mais sombria explicação, as fofocas são usadas pelas pessoas para promover suas próprias reputações e interesses à custa de seus colegas. Sabemos que, naturalmente, é difícil se afastar de uma história interessante e, para os que são viciados em fofocas, mantê-las para si mesmos é ainda mais complicado.

Por isso, quando a fofoca chega em um nível que torna o ambiente de trabalho um local hostil, as consequências podem ser enxergadas com facilidade. Nota-se um declínio na confiança entre os colaboradores, há um drama emocional que atrapalha a produtividade, ansiedade e tensão aumentam, os times ficam mais divididos, uma vez que as pessoas começam a tomar partidos. Além disso, pode haver uma rotatividade inesperada e a perda de bons talentos.

2. Gestão baseada no medo

Se você deseja promover uma equipe ou organização confiável e de alto desempenho, deixe de lado as práticas autoritárias e pare de gerar medo entre os membros. Como líder, isso significa dar a liberdade para que todos experimentem coisas novas, colaborem com ideias, cometam erros e até mesmo que liderem a si mesmos. Essa atitude pode desencadear esforços surpreendentes e seu time entregará ótimos resultados.

Quando um modelo de liderança é menos baseado no controle e mais no incentivo à autonomia e à sabedoria coletiva, o saldo é sempre positivo. E o melhor: desencadeia o crescimento financeiro.

3. Incapacidade de ouvir atentamente

Comunicação eficaz diz respeito apenas a saber falar. Grandes comunicadores ouvem histórias de terceiros de maneira intuitiva, fazendo perguntas em busca de mais profundidade, entendimento e significado. Fazer isso requer a habilidade de estar presente no momento. Isso significa que você deixa de conversar com outras pessoas só para entender o seu ponto de vista e buscar agregar o que funciona para todos.

Quando você ouve atentamente, você escuta as objeções, ansiedades e medos alheios, bem como a solução para diversos problemas.

4. Mentir

A mentira é um enigma psicológico fascinante. Geralmente, existem duas razões pelas quais as pessoas mentem: por conta de algo que diz respeito a elas mesmas, e porque há algo nos outros que elas querem fazer igual. Geralmente, nossas piores qualidades são as responsáveis pelas mentiras.

Em um artigo da National Geographic, intitulado “Por que mentimos: a ciência por trás de nossas maneiras enganosas”, há um trecho que diz: “mentir, ao que parece, é algo em que muitos de nós somos muito hábeis”.

Então, se mentir é humano, você pode apostar que isso está acontecendo com frequência na sua empresa. Para combater o problema da mentira, é preciso estar ciente das razões pelas quais as pessoas estão agindo dessa maneira.

5. Falta de integridade

Infelizmente, a integridade está muitas vezes ausente. Em uma de suas cartas anuais aos acionistas da Berkshire Hathaway, Warren Buffett escreveu: “São necessários 20 anos para construir uma reputação e cinco minutos para arruiná-la. Se você pensar sobre isso, fará as coisas de maneira diferente”.

A pergunta é: como você pode arruinar sua reputação em cinco minutos? Não assumindo a responsabilidade por suas ações. A reputação, a carreira ou o sucesso de qualquer pessoa podem cair rapidamente como um castelo de cartas, não importa o quão esforçada ou elogiada ela tenha sido ao longo dos anos.

CEO quer dizer que, sem a integridade presente como um valor real, você acabará fracassando. Ele tem tanta certeza de que a integridade é a força vital rumo à influência e sucesso, que afirmou que, se você contrata e promove funcionários com inteligência e energia, mas sem integridade, você “realmente quer que elas sejam burras e preguiçosas”.


Imprimir