Com o Dia dos Pais se aproximando, cresce a busca e a oferta de presentes. A data será celebrada no dia 9 de agosto e, assim como o Dia das Mães, será marcada por tendências de consumo diferentes do ano passado.

Na data, as atividades do comércio caíram 30,7% em relação a 2019, segundo o Indicador de Atividade do Comércio da Serasa Experian. Por outro lado, o faturamento do e-commerce mais do que dobrou: passou de R$ 2,78 bilhões para R$ 6,02 bilhões, segundo dados da Compre&Confie.

O desempenho do comércio eletrônico no Dia das Mães, segundo o consultor do Sebrae-SP Luiz Felipe Navarro, serve de parâmetro para o que esperar do Dia dos Pais neste ano. Apesar da reabertura do comércio em algumas cidades, ele aponta o delivery e as vendas online como um ponto-chave para a data.

O consultor também destaca as principais tendências para presentes e dicas para quem busca oportunidades de faturar. Veja abaixo.

1. Identifique produtos em destaque
Os itens mais buscados no Dia dos Pais são os de uso pessoal, como kits de higiene, perfumaria, caneca e artigos de escritório. Mais do que nunca, segundo Navarro, também terão destaque aqueles que remetem à emoção, como fotografias, itens de decoração e brindes em geral.

Os kits gastronômicos são outra tendência que se fortaleceu com o distanciamento social. Cestas de café da manhã e vinhos são alguns exemplos. “Um segmento que tem crescido muito é o de bebidas”, destaca o consultor.

2. Ofereça opções
Com a pandemia, Navarro diz que foi possível notar uma queda no tíquete médio dos consumidores. Mas isso não significa que não há espaço para produtos com um preço mais elevado. O segredo é oferecer opções que se adequem ao bolso de diferentes públicos – como uma cesta de produtos mais simples e outra mais completa.

A adaptação também inclui fatores como uma maior variedade de meios de pagamento, com destaque para os digitais. No fim das contas, o importante é oferecer uma boa experiência de consumo. “Se você proporciona uma experiência diferenciada e agradável, o preço acaba sendo uma variável de menor destaque.”

3. Planeje-se
Se você ainda não começou a se preparar para a data, faça isso o quanto antes. A recomendação do consultor é mapear os produtos e as oportunidades que existem na região em que você mora. Assim, pode encontrar formas de inovar e ser criativo.

“Inovação não se trata de tecnologia, mas de criar algo que combine produtos ou até duas empresas diferentes”, explica Navarro. “A criatividade traz à tona um diferencial competitivo.”

4. Foque na divulgação
Quem quer ter bons resultados precisa caprichar na divulgação dos produtos e serviços. As redes sociais são uma importante ferramenta – mas é preciso saber usá-las. “Não adianta fazer uma divulgação para todo mundo. É preciso saber para quem ela é e fazê-la de forma segmentada.”

Ter um público em mente ajuda, por exemplo, a escolher a linguagem adequada para a comunicação da marca. Também permite fazer anúncios e ações promocionais dirigidas às pessoas que você quer atingir.

5. Não deixe as entregas de lado
Desde o início da pandemia, as vendas online, o delivery e o drive-thru ajudaram o comércio a amenizar parte das perdas pelo fechamento das lojas. Mesmo com a reabertura em algumas cidades, o consultor diz que os modelos continuam sendo fundamentais.

“Ainda existe muita insegurança. Mesmo que você tenha o canal via loja, é preciso mostrar para o consumidor que ele tem esses formatos à disposição”, afirma, lembrando que as vendas online são uma tendência que veio para ficar.

Imprimir