Quando Felipe Boell assumiu a gestão do posto de gasolina da família em Curitiba, no Paraná, ele se frustrou com as limitações do modelo de negócio para inovar e trazer mais rentabilidade para a empresa. “A única forma de trazer mais clientes era mexendo no preço do combustível”, explica. Ele percebeu que mesmo os espaços que ofereciam outros serviços, como lavagem de carros, eram alugados. “Nem pensava que este seria o pulo do gato nos nossos negócios”, afirma.

Boell começou a pensar em formas de aproveitar o fluxo de pessoas para inovar no serviço prestado e, ao mesmo tempo, criar algo com propósito, que entregasse conveniência e economia de tempo para as pessoas. Dentro de um conjunto de ideias surgiu a Wow Carro Limpo em 3 Minutos, que tinha o objetivo de ser um lava-rápido mais ágil e econômico para o consumidor. “Instalamos o primeiro, que entrou como um complemento do faturamento do posto, e hoje é a principal fonte de receita do local. Tomou conta até da fachada”, afirma.

A ideia surgiu durante uma viagem do empreendedor à Europa. Boell conheceu a máquina italiana de car wash com alta pressão, que usava até 100 litros de água, cinco vezes menos que o convencional para a limpeza completa e ágil dos veículos. Ele investiu R$400 mil em uma máquina com jatos de alta pressão para iniciar o negócio.

Para desenhar o modelo da empresa, o empreendedor conta que estudou cada concorrente para entender quais eram as oportunidades e os desafios que levavam muitos à falência. “Entendemos que precisávamos quebrar a barreira e conscientizar o cliente para a higienização constante do carro. Educar, explicar a diferença entre um lava-rápido convencional e o nosso serviço.”

A empresa nasceu em janeiro de 2019, mas experimentou um crescimento acelerado durante o ano passado. O empreendedor acredita que, em função da pandemia, houve um aumento na busca por higienização e segurança. “O fato de que lavamos o carro sem contato humano, sem o motorista precisar descer do veículo, fez toda a diferença”, afirma Boell.

Hoje, a rede tem quatro unidades próprias em funcionamento em postos de gasolina e mais sete contratos negociadas para abrir ainda no primeiro semestre. A expectativa é chegar a 30 unidades até o final do ano.

Boell traçou três modelos de expansão: franquia tradicional, em que o franqueado atua como operador do negócio; sócio-investidor, quando a operação do negócio fica a cargo da própria Wow; e o modelo de locação das máquinas para espaços já existentes.

No modelo de franquias, a empresa cede o direito de uso das máquinas para os franqueados por vinte anos. De acordo com Boell, esse prazo mais longo que o comum no setor de franquias visa melhores condições de crédito com instituições financeiras e sustentabilidade financeira para o negócio. O investimento inicial depende das máquinas escolhidas pelo franqueado. São três opções: o modelo básico custa R$ 800 mil (capaz de atender até oito carros por hora), o intermediário sai por R$ 1,1 milhão (12 carros por hora), já a produtividade completa é a partir de R$ 1,6 milhão (60 carros por hora).

As máquinas oferecidas hoje pela Wow, dentro dos investimentos mencionados, podem ser simples, duplas ou triplas. Cada uma delas realiza desde lavagem simples até serviços mais complexos como lavagem de chassi, polimentos e secagem. A máquina simples realiza a lavagem básica em torno de 3 minutos, já a lavagem somada à secagem e o polimento chega a 12 minutos. Boell explica que a tripla reduz o tempo da lavagem mais complexa para 7 minutos.

A ideia é instalar as unidades do negócio em locais com fluxo médio de 800 carros por dia, como estacionamentos de supermercados, shopping centers ou universidades, além dos próprios postos de gasolina. Outro diferencial é que o cliente final compra pacotes de uso, o que faz com que o serviço seja prestado de forma recorrente, segundo o empreendedor. 


Imprimir