Para tentar conquistar os mais de 180 milhões de brasileiros que não têm plano de saúde, diante do cenário de crise provocado pela pandemia, empresas estão lançando produtos mais baratos.

A nova estratégia inclui desde pacotes com mensalidades mais em conta, que oferecem uma rede credenciada menor de hospitais e clínicas, até serviços de assinatura que dão direito a descontos em  consultas e exames.

Até empresas tradicionais do setor, como SulAmérica e Qualicorp, já lançaram planos com valor menor.

Oferecer produtos mais baratos é uma discussão antiga no setor de saúde suplementar, mas se tornou uma questão mais premente com a pandemia. De 2014 para cá, as operadoras acumularam perda de mais de três milhões de usuários. Mas só de março a julho, 327 mil pessoas deixaram de contar com a cobertura de um plano de saúde.

Para saber mais, leia aqui a reportagem completa em O GLOBO

Imprimir