Buscar estudos, pesquisas e experimentos de maior eficácia no Brasil e no mundo. Tomar essas técnicas como base e melhorar cada vez mais as práticas adotadas por Praia Grande no combate e enfrentamento à pandemia por covid-19 é um dos principais objetivos do Comitê técnico-científico criado pela Secretaria de Saúde Pública (Sesap) do Município.

Composto por médicos, fisioterapeutas, enfermeiros, farmacêuticos, diretores e gestores, o grupo de trabalho reúne profissionais dos mais diversos níveis de atenção em saúde, como Atenção Básica, Pronto-Socorro, Especialidades Médicas, Samu da Rede Municipal e do Hospital de Referência para covid-19, o Irmã Dulce. “Os profissionais, em sua maioria, também acadêmicos da área da saúde, ligados à faculdades e universidades, vão buscar referências em assistência e tratamento dos pacientes com covid-19”, explica o secretário de Saúde Pública Cleber Suckow Nogueira.

Para o reumatologista Eduardo Yabuta, um dos membros do Comitê, o grupo reúne excelentes condições para oferecer ao Município o que há de melhor no mundo, quando o assunto é o combate ao novo coronavírus. “Nós pesquisamos e estudamos as melhores evidências que encontramos no Brasil e no mundo e expomos durante as reuniões. A partir desses debates acadêmicos, a equipe vai traçando os melhores protocolos cabíveis à realidade nossa Cidade, comentou.

As principais atribuições do Comitê são:

– Analisar a literatura acadêmica, boletins epidemiológicos e guias, diretrizes e protocolos de manejo, diagnóstico e terapêutico emitidos pela comunidade científica e instituições, adequando-os a realidade municipal quando pertinentes.

– Recomendar a adoção de protocolos clínicos e regulatórios para o enfretamento da Pandemia.

– Sugerir boas práticas e métodos de aprimoramento do atendimento humanizado aos pacientes acometidos pelo covid-19, particularmente quanto aos casos moderados, graves e críticos.

Projetos de universidades, instituições de pesquisa, protocolos e utilização de medicamentos são o foco dos trabalhos e reuniões que já começaram a ser realizados. “Existe muito trabalho importante sendo feito em diversos países, como Espanha e Holanda e, inclusive no Brasil. Um dos assuntos a serem pesquisados que tem se mostrado de extrema importância em diversas pesquisas e experimentos, é o tratamento imunobiológico, por exemplo. Queremos acompanhar de perto e mais que isso, queremos colocar em prática aqui na cidade, como nossos pacientes, tudo o que for de melhor e de seguro no enfrentamento da covid-19”, ressalta Nogueira.

Diretrizes adotadas – Um protocolo de atendimento, tratamento e regulação dos leitos está sendo implementado junto às Unidades de Saúde da Família, UPA, Prontos-Socorros, Hospital e Irmã Dulce e, quando for necessário, Hospitais de Campanha. “Na última reunião conseguimos formular o Fluxo Regulatório para atender e operacionalizar o translado de pacientes entre os equipamentos que serão e os que já estão sendo utilizados no enfretamento à pandemia por covid-19, principalmente no que diz respeito a Atenção Básica, Prontos-Socorros e Hospitais de Campanha explica o subsecretário de Planejamento em Saúde e coordenador do comitê, Rodrigo França.

Os encontros acontecem semanalmente através de aplicativos de reunião online.


Imprimir